Conheça a história de amor da Débora, do Recife, vencedora do concurso do Dia dos Namorados

Para celebrar o amor, a Toli realizou um Concurso Cultural para o Dia dos Namorados. As clientes puderam contar suas histórias e concorrer a R$ 1.000,00 em compras. Foram centenas de relatos emocionantes, onde todas compartilhavam um ponto em comum: a celebração de um sentimento puro e verdadeiro. Conheça agora a história de amor da Débora, cliente da Toli Recife, uma das cinco premiadas.

Eu e Diego nos conhecemos dia 09/01/04, eu com 14 e ele com 15 anos, nas férias de janeiro. Ele é primo do meu vizinho da casa de praia.

Na época ficamos, trocamos MSN, alguns encontros no cinema e dia 04/07/04 (sou ótima com datas) começamos a namorar. Namoramos por quase 02 anos até que o pai dele foi transferido para Santos. Na época eu estava estudando para vestibular, pressão em questão de estudo. Sempre em feriados ele vinha a Recife ou eu ia para Santos, mas começou a se tornar difícil pois dependíamos de nossos pais para tudo. Não houve razão para término, a distância e as circunstâncias nos afastaram.

A vida seguiu, ele voltou a morar em Recife e eu comecei a namorar outra pessoa. Namorei por 10 anos, fui noiva, ele também foi noivo,mas mesmo morando na mesma cidade nunca nos cruzamos, mas nunca nos esquecemos. Eu sempre lembrava dele com muito carinho, sempre trocava mensagens com os pais dele e perguntava como ele estava.

Em 2017 me mudei para os Estados Unidos, onde morei por 1 ano e meio. Nesse tempo, terminei meu relacionamento e ele também. Dia 19/12/18 vi uma foto dele no meu Instagram. Nossa! Quase não acreditei. Percebi que não havia fotos dele com a ex-namorada então supus que estava solteiro. Então curti uma foto dele. Não demorou 2 minutos e ele me enviou um inbox. Trocamos WhatsApp e lembro que nesse dia entramos a madrugada em chamada de vídeo. Horas contando tudo o que havia acontecido nesses 10 anos.

Parecia que tudo estava escrito, porque ele tinha um curso na Califórnia 2 semanas depois. Eu queria muito reencontrá-lo. Eu morava na Flórida e ele tinha um curso na Califórnia. Passamos a nos ligar e falar todos os dias até decidi comprar minha passagem para encontrá-lo. Passagem comprada para dia 18/01/19: muita ansiedade. Chegou o dia, eu embarquei e assim que desci do avião eu o vi DE BRAÇOS ABERTOS VINDO EM MINHA DIREÇÃO. Foi definitivamente cena de filme. Quando nos abraçamos não parecia que havia passado 10 anos, não parecia que havíamos nos separado. Foram 05 dias para matar 10 anos de saudade.

Nos despedimos chorando, voltei para minha casa na Flórida e ele para Recife, mas eu sentia que nossa história estava inacabada; então decidi voltar. Em menos de 1 mês organizei mudança e dia 16/02/19 eu estava chegando em Recife e estamos juntos dando continuidade àquela história que ficou inacabada. Não existe década, não existe continente capas de separar quando é para ser.

Eu sempre emociono quando falo (ou, no caso, escrevo) sobre nossa história. Hoje adultos retomamos aqueles velhos sonhos que tínhamos quando criança e cada dia temos mais certeza que aquele 1º amor sempre foi o amor de nossas vidas.